Chile flag Chile: Esboço econômico

Esboço econômico

Indicadores econômicos

Para obter as previsões mais recentes sobre os impactos econômicos causados pela pandemia do coronavírus, consulte a plataforma de rastreamento de Respostas Políticas para COVID-19 do FMI para as principais respostas econômicas dos governos.

O Chile é tradicionalmente considerado um modelo na América Latina de transparência financeira e política. Além disso, é uma das economias que mais cresceu na região na última década, permitindo a redução da pobreza no país. Porém, o Banco Mundial estima que a crise da COVID-19 pode reverter anos de crescimento na classe média chilena, reduzindo seu tamanho para cerca de 2 miilhões de pessoas somente em alguns meses e empurrando a nova classe média de volta à pobreza. Ainda assim, em 2022, o PIB do Chile cresceu, porém em um ritmo mais desacelerado do que no ano anterior, alcançando cerca de 2%. Essa desaceleração no crescimento aconteceu pois o consumo interno foi reduzido, por causa de condições financeiras mais apertadas, da retirada das medidas de apoio relacionadas à pandemia e por causa do aumento da inflação. Nos próximos anos, a economia chilena deverá oscilar entre crescimento e retração, com o FMI prevendo contração do PIB de 1% em 2023 e crescimento de 2% em 2024.

A balança do governo fechou em -2,6% do PIB em 2022, seguindo uma forte resposta fiscal à pandemia da COVID-19. No entanto, a atual proposta orçamentária do Chile visa uma redução significativa do déficit nos próximos dois anos, com o saldo geral do governo projetado para cair para -2% em 2023 e -1,4% em 2024. A dívida bruta do governo foi estimada em 36,2% do PIB em 2022, deverá subir para 36,9% em 2023 e 37,8% em 2024. No entanto, o governo pretende estabilizar a dívida no médio prazo. De acordo com estimativas do FMI, a inflação atingiu 11,6% em 2022 e deverá cair para 8,7% em 2023 e 4,1% em 2024. A inflação deve melhorar com as medidas de austeridade fiscal anunciadas pelo Tesouro, principalmente devido aos cortes de gastos de 1,6% do PIB nos próximos quatro anos. Apesar dos esforços recentes para diversificar sua economia, o Chile continua vulnerável aos preços internacionais do cobre, à demanda internacional (particularmente da China), riscos climáticos e sísmicos, P&D inadequados, rede rodoviária e rede de energia vulneráveis, altos preços de energia e um sistema educacional precário (Coface) . A perspectiva de longo prazo para os preços do cobre, portanto, tem efeitos cascata de longo alcance para o emprego, salários, receita do governo e renda nacional no Chile, de modo que a principal questão a ser enfrentada pelo governo para reviver o crescimento econômico é reforçar cooperação comercial com novos parceiros comerciais, particularmente na Ásia.

A taxa de desemprego relativamente alta do Chile diminuiu ligeiramente para 7,9% em 2022, influenciada principalmente pelos setores de construção, comércio e transporte, que se recuperaram após a pandemia. Além disso, o FMI espera que a taxa de desemprego aumente em 2023 para 8,3% e, em 2024, permaneça estável em 8,2%. O país tem o maior PIB per capita da região (14.772 dólares; Coface), mas também altos níveis de desigualdade e informalidade (OCDE). Os fatores de disparidade de riqueza incluem o atual sistema tributário que prejudica principalmente as classes de renda baixa e média. O Chile investiu fortemente em energia renovável, que deverá representar até 20% de sua geração de energia até 2025.

 
Indicadores de crescimento 20222023 (E)2024 (E)2025 (E)2026 (E)
PIB (bilhões de USD) 300,73344,40354,47372,49390,40
PIB (crescimento anual em %, preço constante) 2,4-0,51,62,32,4
PIB per capita (USD) 15.16617.25417.64718.43419.210
Saldo do Balanço de Pagamentos (em % do PIB) -1,9-3,4-2,3-1,8-1,2
Dívida Pública (em % do PIB) 38,038,441,242,442,6
Índice de inflação (%) n/a7,83,63,03,0
Taxa de desemprego (% da população economicamente ativa) 7,98,89,08,68,0
Balanço das transações correntes (bilhões de USD) -27,10-12,00-12,91-13,03-12,73
Balanço das transações correntes (em % do PIB) -9,0-3,5-3,6-3,5-3,3

Fonte: IMF – World Economic Outlook Database, 2016

Nota: (e) Dado estimativo

 
Indicadores monetários 20162017201820192020
Peso chileno (CLP) - Taxa cambial média anual em relação ao 1 GHS 169,66149,14139,85135,17141,67

Fonte: World Bank, 2015

 

Return to top

Alguma observação sobre este conteúdo? Fale conosco.

 

© eexpand, todos os direitos de reprodução reservados.
Últimas atualizações em Outubro 2023